quinta-feira, 22 de março de 2012

QUADRILHA RESPONSÁVEL POR ASSALTOS E HOMICÍDIOS É DESARTICULADA.

Na manhã desta quinta-feira, 22, o diretor do Complexo de Operações Policiais Especiais (Cope), delegado Everton Santos, detalhou a operação que culminou nesta quarta-feira, 21, com a desarticulação de uma quadrilha responsável por assaltos e homicídios registrados na capital Aracaju e no interior do Estado. Foram presos Nilson dos Santos, 26 anos, conhecido como "Dudu", Wanderson da Silva Ferreira, 26 anos, vulgo "Negão", Elton Fagundes Santos Silva, 29 anos, Flávio Barbosa Nunes, 24 anos, que atende por "Fal", e Fábio dos Santos, 33 anos.

Os cinco integrantes foram abordados e presos nas imediações do bairro Coqueiral em Aracaju quando transitavam em um veículo Celta, cor verde, placa JPD 73-60. Com eles os policiais encontraram um revólver calibre 38 com doze munições e uma espingarda calibre 12 com dois projéteis. Segundo a polícia, o bando ia praticar um homicídio no conjunto Marcos Freire, em Nossa Senhora do Socorro. A vítima seria um desafeto.


De acordo com Everton, a quadrilha pretendia, também, assaltar um vereador da cidade de Salgado. O crime já estava em fase de planejamento e ia acontecer ainda nessa semana. Os integrantes são responsáveis ainda pela prática de um assalto registrado no dia 17 de fevereiro deste ano a uma distribuidora de frios e pescados localizada na avenida Gentil Tavares, quando na oportunidade foi roubado cerca de R$ 40.000,00 em dinheiro. Além de agirem, também, na semana passada em pelo menos dois estabelecimentos comerciais localizados no município de São Cristóvão. "Nesse evento da distribuidora a quadrilha agiu com muita violência, dominando clientes e funcionários. Foi a partir desse crime que iniciamos a investigação e chegamos ao Flávio Barbosa que é o líder do bando. Ele estava preso até setembro do ano passado por conta de um homicídio", detalhou Everton.

Ainda segundo o coordenador do Cope, o grupo agia com informações privilegiadas, tendo em muitas oportunidades conhecimento até do numerário existente nas empresas. Para não levantar suspeita eles costumavam trajar roupas dos estabelecimentos alvos ou uniformes utilizados por profissionais de saúde que trabalham no combate à dengue. "Eles estavam tão acostumados com o crime que não passavam mais de três dias sem cometer delitos. As investigações continuam em adamento pois há a suspeita da atuação do grupo em postos de combustíveis e casas lotéricas localizadas em Aracaju e em cidades do interior. Estamos investigando, também, a participação da quadrilha em crimes de homicídio", finalizou Everton.

Alguns produtos subtraídos pela quadrilha já foram recuperados pela polícia. Os integrantes estão custodiados na carceragem do Complexo de Operações Políciais Especiais (COPE). A operação envolveu agentes civis do COPE e militares do Comando de Operações Especiais (COE), Companhia de Radiopatrulha e Grupamento Tático Aéreo (GTA). As investigações contaram com o suporte da Divisão de Inteligência e Planejamento Policial (Dipol).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário